Imprimir Shortlink

PROMISING YOUNG WOMAN

Não é tão comum acontecer de a gente desejar que um filme não acabe, mas com este filme isso pode ocorrer. Pois o desejo é realmente de que dure muito mais e contar muitas coisas sobre ele poderá estragar parte da diversão. Porque se trata de uma atraente e irresistível mistura de gêneros, entre os quais o drama, o romance, o mistério, o policial, com boas doses de humor, suspense, humor negro, toques bizarros, enfim, uma miscelânea mas tudo muito bem dosado e com a maravilhosa interpretação da britânica Carey Mulligan (Educação, Shame, Drive, Longe deste insensato mundo) e a direção da igualmente britânica -e também atriz- Emerald Fennell (A garota dinamarquesa, Killing Eve e como atriz na série Crown). Um filme imprevisível, que não deixa o espectador desgrudar da tela, com um roteiro muito bem construído e que além de tudo ainda nos reserva pelo menos duas ou três ótimas surpresas. Além disso tem um roteiro que desafia os clichês e que, por caminhos originais, acaba sendo um poderoso manifesto contra o machismo e também contra o próprio sistema social-penal, que muitas vezes está estruturado de um jeito que acaba estimulando a impunidade e o crime. O filme fez muito sucesso no último festival de Sundance e seu título se refere a um ato de violência sexual praticado em 2016, contra uma estudante da Universidade de Stanford.   9,2