Imprimir Shortlink

FERRUGEM E OSSO

Ferrugem e ossoUm drama francês de 2012, lento, mas denso, e contemporâneo quanto às dificuldades da vida e dos personagens na sobrevivência do dia a dia. Dirigido por Jacques Audiard (diretor do premiado O profeta), apresenta o ator Matthias Schoenaerts fazendo muito bem seu complexo personagem, mas Marion Cotillard é quem brilha mais: depois de Piaf, aliás, não precisava fazer mais nada (uma das maiores interpretações da história do Cinema), mas continua fazendo e muito bem. Seja em cenas corriqueiras, como nas que exigem muito talento dramático, ela é estupenda e desperta emoções. Surpreendentemente não foi indicada ao Oscar como o foi ao Globo de Ouro e ao SAG (pois é muito mais atriz que Jessica Chastain, por exemplo). Mas neste filme o brilho não é só dela, como já dito, e tecnicamente é também um filme bem acabado, inclusive nas cenas envolvendo deficiência física (algumas impressionantes mesmo) – aí contando com a imprescindível tecnologia moderna -, havendo outras cenas de grande beleza plástica e que valorizam a direção e a fotografia, como as do aquário, a da primeira saída ao sol, a do mergulho no mar…Pra se contrapor, quase ao final uma cena impactante, trágica, de um realismo quase macabro. O filme, por ser difícil e pelo ritmo, não é para todos os gostos, mas certamente está longe de ser medíocre.  7,8

Achou interessante? Gostou? Compartilhe !
Share on Facebook
Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone