Imprimir Shortlink

PAS SON GENRE

95806629Romantismos à parte, é fácil para um casal perceber o abismo que existe,  pelas diferenças culturais, intelectuais etc ? E percebendo, há razões para ser otimista e achar que é possível conciliar as coisas e levar a relação avante e com sucesso? Ou se deve antecipar o fim e desde logo admitir a impossibilidade do relacionamento, evitando sofrimentos? E aceitando a desigualdade, no final da fase do deslumbramento, será possível a lucidez? Um filme francês com tom de comédia, mas que discute temas sérios (violência sócio-cultural…) com ótimo roteiro e a interpretação luminosa de Emilie Dequenne (atriz indicada ao Cesar 2015­). Comédia dramática, em suma, que apresenta com inteligência muitas facetas da realidade. E um final de filme que os americanos, por exemplo, provavelmente não fariam, o que no caso aqui soa como mérito.  8,5

Achou interessante? Gostou? Compartilhe !
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone