Imprimir Shortlink

A BICICLETA DE MEU PAI (MY FATHER´S BIKE)

moj_rower-posterEu estava pensando outro dia em como é impossível, pela aparência das pessoas, avaliar a amplidão do universo de cada um, as aptidões, o valor, o caráter de cada ser humano, seu passado, suas dores…E é fato que as pessoas sempre podem nos surpreender, ainda que tenhamos com ela estreitas ligações. Mas essa surpresa poderá ter como efeito curar dores antigas e já cicatrizadas? Reconciliar gerações? Conhecer realmente alguém pode realmente soar pretensioso, diante da grandiosidade de cada pessoa e dos segredos que cada um guarda a sete chaves. Mas a redenção mais importante talvez seja a que alcançamos conosco mesmos, quando estamos dispostos a escancarar nossa alma, embora em família, as coisas sejam ainda mais complicadas…mas enquanto houver espíritos generosos e dispostos/atentos, tudo será possível. Este é um filme daqueles típicos europeus com história simples porém muito bem elaborada e delicadamente cuidada, que mostra pessoais verdadeiras, com sentimentos, inquietações, dramas reais. O ritmo lento, as paisagens e a inusitada trilha sonora (jazz/swing americano, com o exímio clarinetista Benny Goodman, por exemplo) contribuem para a contemplação e para a reflexão. Simples, sincero e bonito filme, com belas e emocionante cenas: como a dos três nadando, a do concerto (maravilhosa !) e a do fecho deste drama polonês (2012), outra  imagem repleta de significados.  8,5

Achou interessante? Gostou? Compartilhe !
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
  • Lindo filme, lindo texto. Exatamente como você escreveu, simples, sincero e bonito.
    Adorei seu blog! Estou pulando de filme em filme e me preparando para o fim de semana.
    Abração!

    • obrigado, Rose, fiquei feliz com seu comentário, embora ainda não esteja acostumado com comentários no blog e por isso demoro tanto tempo pra responder, rs…até fui ver de novo o que escrevi, porque quando escrevo é logo depois de ver o filme e sujeito sempre a emoções que podem com o tempo mudar