Imprimir Shortlink

A BELA DO BAS-FOND (PARTY GIRL)

a-bela-do-bas-fond_t34557_png_290x478_upscale_q90Este filme americano, exibido em belo technicolor, é de 1958 e “bas-fond” é uma expressão que faz alusão à marginalidade. O diretor foi o famoso – e ótimo – Nicholas Ray, que já havia dirigido Johnny Guitar, No silêncio da noite, Juventude transviada, entre muitos outros. E o par central é interpretado por Robert Taylor e Cyd Charisse. Ele, um galã famoso na época e ela a formosa dançarina do espetacular Cantando na chuva, de 1952 (mas que já dançava no cinema dez anos antes disso). Quando fez este filme, Cyd estava com 37 anos. Mas no auge da beleza, dotada de extrema classe e elegância (embora eu não a considere uma ótima atriz) e dançando como nunca. Aqui protagoniza duas danças maravilhosas, em técnica e sensualidade. A trama envolve mafiosos e a segurança jurídica para seus negócios, representada pelo advogado interpretado por Taylor, bem como o vínculo que passa a existir entre ele – com um defeito físico – e a dançarina interpretada por Cyd. A partir do envolvimento entre os dois, consequências perigosas passam a rondar as relações. Também apresentando Lee J. Cobb e John Ireland, o filme tem também ótimas fotografia e direção de arte, muitos diálogos muito bons, sendo alguns deles bastante afiados. 8,0

Achou interessante? Gostou? Compartilhe !
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone